terça-feira, 13 de abril de 2010

E Agora? (o que senti entre dor e prato hoje sinto-me como a letra da canção)


Não me beijes
Não digas que me amas
Não repitas as mentiras que eu não quero ouvir
Já não acredito, deixei de acreditar
E agora?

Desabei…
Caí do mais alto penhasco
Desiludi-me
Sinto-me enganada, usada
maltratada, injustiçada
amarga ….
E agora?

Não confio em ti
Não acredito em ti
És um fraco!
Um indeciso…
Um miúdo
Uma criança
Um errante
Tenho pena e raiva
Uma raiva maior que a esperança
E agora?

Não sei viver sem segurança
A caminhar no arame
Não sou trapezista
Não me movo bem
sobre areias movediças
O sonho morre lentamente
Mataste-o!
E agora?

Busco um novo alento
Que em ti não encontro
Foste uma desilusão
Um engano
Fingiste ser quem não és
És inseguro, imaturo
Irritante
Hoje consola-me a raiva e o pranto.
E agora?

És cobarde!
Apenas hesitas por medo
Não sentes nada,
então avança!
Faz o que queres:
Desiste!
Não esperes que seja eu a desistir…
Faz-te Homem!
Não me beijes
Não me mintas…
Hoje vejo-te como um fraco
E agora?

1 comentário:

Angel in the dark disse...

E a desilusão de amor é talvez uma das dores maiores que se podem sentir!...

Angel