quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

EU!









Se te pudesse falar de mim
como quem fala a um estranho
Contar-te … nada!
Poder ser quem eu quiser
e nunca na verdade ser eu
e no fundo não ser nada.

Por um segundo existir,
como num sonho,
ancorada ao teu peito,
presa em teu abraço,
embevecida no teu beijo,
e por um segundo ser tudo
e não ser nada.

Se pudesse esquecer
todos os abraços,
todas as lágrimas,
todas as dores,
todas as mágoas,
e recomeçar do zero,
sem memória de coisa nenhuma.

Talvez assim fosse afortunada
… despojada de tudo
o que um dia me fez feliz
Largar pelo chão
tudo o que perdi
ou ganhei…
Deixar de carregar
todo o meu passado,
tudo o que faz de mim o que sou,
mas sabes talvez eu não seja nada….

1 comentário:

SDaVeiga disse...

Lindo!
Gostei muito de tão belos textos e do blogue em si.
Parabéns DoceAroma.
Vou visitar mais vezes. :-)