quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

Essência













Se soubesses de mim o que não digo
tudo aquilo que escondo só para mim
Se soubesses do que trago no peito
este sentir desalmado que não morre nunca
que se multiplica e me transcende

Se soubesses de mim, o que de mim nem eu sei
os segredos mais secretos e profundos
as mentiras e as meias verdades
esta tela de mim, que eu pinto para o mundo

Se soubesses de mim, o que de mim mais ninguém sabe
talvez pudesses entender o quanto sofro,
talvez pudesses compreender de que falo,
quando guardo em meu silêncio
a verdade do que por ti sinto
a essência do que calo

1 comentário:

ParadoXos disse...

"Se soubesses de mim, o que de mim nem eu sei
os segredos mais secretos e profundos
as mentiras e as meias verdades
esta tela de mim, que eu pinto para o mundo"

gostei particularmente desta quadra, por falar por mim!

abraços